AKNA.INFO

Tudo sobre nossas soluções consolidadas aqui para você.

Boas Práticas para E-mail Marketing

Para o sucesso de suas ações de e-mail marketing, leia abaixo o guia “Boas Práticas para E-mail Marketing” e conheça uma série de boas práticas  que são fundamentais para garantir uma boa reputação de seu remetente e, consequentemente, melhores resultados.

Caso prefira, faça o download do guia.

download

INTRODUÇÃO

Os provedores de e-mail estão cada dia mais preocupados em combater o spam, por isso, estão em constante alerta para identificar qualquer ameaça.

Para o sucesso de uma ação de e-mail marketing, é necessário que os remetentes se atentem a uma série de boas práticas que são fundamentais para garantir uma boa reputação do remetente e, consequentemente, melhores resultados.

Esse manual irá explicar a forma mais adequada de construir e enviar uma ação e-mail marketing, visando atender as exigências dos provedores e também proporcionar uma melhor experiência ao leitor.

Conceitos

O que é e-mail?

É um método que permite compor, enviar e receber mensagens por meio de sistemas eletrônicos de comunicação.

Hoje em dia é uma das formas mais utilizadas para se fazer comunicação online, seja diretamente ou em massa.

E e-mail marketing?

É a utilização do e-mail como ferramenta de marketing direto. Pode ser usado para fins comerciais, de relacionamento ou branding, sempre dependendo do consentimento do cliente para ser enviado.

Atualmente, o e-mail marketing é uma ferramenta de comunicação digital com alto índice de retorno financeiro para as empresas. Comprovando esta afirmativa, empresas especialistas em métricas de campanhas digitais revelam que para cada R$ 1,00 investido em campanhas de e-mail marketing, R$ 44,25 é o retorno médio.

Opt-in

Termo utilizado para definir que o contato “optou” por receber mensagens de uma determinada empresa.

Tipos de Opt-in Definição Vantagem Desvantagem
Opt-i ou Single Opt-in Termo utilizado para definir o contato que acessou o site da empresa e fez o cadastro para receber “newsletters”. É a forma mais rápida de conseguir contatos. Erros de digitação ou inserção de e-mail prejudiciais, como spamtraps, de forma proposital.
Double Opt-in Termo utilizado para definir que o processo de opt-in exige uma “dupla confirmação”, ou seja, o contato acessa o site da empresa, faz o cadastro e recebe um e-mail do referido site solicitando uma nova confirmação que pode ser dada por meio de um link; A autorização para o envio do e-mail só acontece após o clique. Sua lista ficará mais limpa e segura, além de provar que o contato solicitou / autorizou receber os comunicados. Exige maior cuidado na implementação e no tratamento dos dados.
Soft Opt-in Termo utilizado para definir que o contato é opt-in porque já existe um vínculo “comercial”, ou seja, o contato comprou algum produto (ou serviço) da empresa remetente ou solicitou um orçamento, por esse motivo não há necessidade de consentimento de forma explícita. Aumento de contatos. Auto índice de opt-out e reclamação de spam.

Opt-out

É o termo utilizado para definir o contato que não deseja receber mais mensagens da empresa remetente.

Pode ser feito por meio do clique no link de remoção da mensagem, por telefone ou de uma resposta por e-mail do contato pedindo para não receber mais mensagens.

É fundamental respeitar os pedidos de remoção da sua lista. Nunca envie para clientes que realizaram opt-out, pois, além de estar sendo insistente e desrespeitoso, você aumenta as chances de ser classificado como spam.

Spam

É o termo utilizado para designar “mensagens enviadas em massa e que não foram solicitadas”.

O spam é um grande incômodo para os provedores de e-mail, pois com o aumento do fluxo de mensagens faz-se necessária uma banda muito maior para o tráfego e armazenamento das mensagens, o que aumenta os custos. No mais, influencia diretamente na experiência do usuário de e-mail, o qual fica incomodado ao receber mensagens que não tem interesse.

Também, é importante que os remetentes tenham esta consciência, pois o e-mail marketing é uma ferramenta de marketing que proporciona relacionamento, logo, precisa-se levar em conta os interesses dos contatos.

Segundo o relatório de entregabilidade de 2014 da Return Path, no Brasil, apenas 60% dos e-mails chegam na caixa de entrada. Este número aponta que ainda existe um grande número de remetentes trabalhando inadequadamente e, o Brasil, precisa percorrer um caminho para melhorar a qualidade de suas entregas.

Consequências do spam

Os provedores de e-mail estão em constante busca de aperfeiçoamento dos métodos de combate ao spam. Ao enviar mensagens sem o consentimento do contato, você prejudica sua relação com eles, além de contribuir para regras cada vez mais exigentes de entrega de e-mail.

REMETENTES QUE ENVIAM SPAM PODEM:
• Ter o IP bloqueado temporariamente – minutos à dias;
• Ter o remetente bloqueado;
• Ter o domínio bloqueado.

O QUE É BLACK LIST?
Lista negra de e-mails, domínio ou endereços de IP classificados como fonte de spam consultadas por provedores e servidores.

CAPEM – Código de autorregulamentação para prática de e-mail marketing

O CAPEM – Código de autorregulamentação para prática de e-mail marketing foi criado em 2009 pelas principais associações de marketing, internet e comércio tem por objeto definir as regras a serem seguidas para a utilização de e-mail como ferramenta de marketing de forma ética, pertinente e responsável, sem prejuízo da concomitante aplicação da legislação vigente aplicável.

Leia o código na íntegra no endereço www.capem.org.br.

Antispam

São softwares (programas) ou hardwares (computadores) designados para classificar mensagens. A finalidade é evitar que uma mensagem de propaganda indesejável ou até mesmo uma tentativa de invasão por e-mail, seja bloqueada e / ou repassada.

Tipos de antispam Como funciona
Servidor – Ferramentas que atuam no servidor de e-mail Podem ser um tipo de hardware (equipamento) ou software instalado no servidor. O objetivo é classificar a mensagem antes que ela chegue a caixa postal do destinatário, muitas vezes é possível que a mensagem seja apagada porque ela foi classificada como spam. Este tipo de ferramenta é responsável pela entrega da mensagem nas “caixas de quarentena” ou “lixo eletrônico” dos webmails, em alguns casos a ferramenta pode simplesmente adicionar no assunto do e-mail uma marcação como essa: [SPAM]. O responsável pela administração do servidor de e-mail pode definir o critério de avaliação das mensagens e criar regras personalizadas para decidir o que é spam.
Desktop – Ferramentas instaladas no computador do destinatário Tem como finalidade identificar o que é Spam antes que a mensagem chegue até o software de e-mail (Outlook, Thunderbird, etc). Quando a mensagem é classificada como Spam, ela é enviada para uma pasta do tipo “quarentena” da própria ferramenta, ou então enviada para a caixa de “lixo eletrônico” do próprio software de e-mail, em alguns casos ela pode simplesmente adicionar no assunto do e-mail uma marcação como essa: [SPAM]. Em algumas ferramentas é possível que o destinatário defina o critério de avaliação das mensagens e crie regras personalizadas para definir o que é spam.
Cliente – Ferramentas que fazem parte do software de e-mail do destinatário Quando uma mensagem é identificada como spam ela é enviada para a caixa de “lixo eletrônico” do software. O destinatário pode ensinar o que é ou não spam clicando nos botões “É spam” ou “Não é spam”.